DEMOCRACIA ECONÔMICA:
UMA ALTERNATIVA DE JUSTIÇA SOCIAL PARA O BRASIL


por Dada Maheshwarananda

Moramos em um mundo controlado pela economia. Mas quase ninguém
entende por completo o sistema econômico presente em nossas vidas.
Inflação, a renda mínima, os preços de alimentos, produtos importados,
impostos, multas e juros -- cada um destes ítens estão controlando nossos
salários, nossos gastos, nossas casas, e nossa educação. Mas quem gosta de
ler sobre economia no jornal?

A razão para esta estranha situação é intencional. Os economistas
estão trabalhando e escrevendo para alguns empressários, os milionários. A
ignorância e confusão sobre assuntos financeiros por parte da massa vai
resultar em liberdade deles para acumular mais riquezas. Eles não gostam do
fortalecimento e participação da cidadania nos assuntos econômicos. Eles
não gostam do conceito de democracia econômica.

O sentimento de democracia política tem grande força hoje. A
ditadura marxista do Partido Comunista foi dramaticamente rejeitada pelo
povo do Leste Europeu e da Russia. Os estudantes e o povo arriscaram suas
vidas para alcancar a democracia, porém, estão aprendendo rápidamente o que
é bem claro para nós: que democracia sem justiça social é irrelevante.
Quando pessoas se encontram em verdadeira pobreza, sem as mínimas
necessidades básicas de vida, como a democracia pode funcionar? Quando os
políticos estão influenciados e controlados pelos bilionários com seus
poderes econômicos, como podemos ter um governo honesto?
Democracia verdadeira necessita de justiça social para todos.

Precisamos de uma nova alternativa para ambos os sistemas econômicos do
comunismo, que claramente não é eficiente, e do capitalismo, que permite a
uma pequena parcela acumular riquezas imensas e desprivar a maioria.
Este novo livro ofereçe uma alternativa: Democracia Econômica:
Teoria da Utilização Progressiva. Esta é uma alternativa de justiça social
para o Brasil. O autor é o indiano Prabhat Ranjan Sarkar. Leonardo Boff
contribuiu com um prefácio que é bem claro e informativo. Vou explicar um
pouco sobre o autor e algumas idéias principais do livro.

Prabhat Ranjan Sarkar viveu na Índia de 1921 a 1990. Ele era um
ativista que fundou um movimento sócio-espiritual fundado nos princípios de
ética e contrário a corrupção política. Devida isso, ele se tornou um
prisioneiro político de 1971 a 1978. Foi o autor de mais de 200 livros
sobre muitos diferentes tópicos, incluindo: ética, sociologia, política,
psicologia, história, educação, filosofia, filologia, física, medicina,
agricultura, literatura infantil, e ainda mais. Também foi compositor de
mais de 5.000 canções. Ele era um filósofo e um mestre espiritual.
Gostaria falar um pouco mais sobre o autor. Conheco ele
pessoalmente. Nosso primeiro encontro aconteceu durante uma visita quando
ele estava na prisão. Sua sabedoria me inspirou a transformar e dedicar
minha vida em serviço a humanidade. Assim inspirou milhares de pessoas de
diferentes raças, culturas, países, e continentes a dedicar suas vidas,
como monjes ou como pessoas comuns, em espírito benevolente com um ideal de
justiça social para todo o mundo.

PROUT (pronuncia-se "práut") é a sigla de "Progressive Utilization
Theory" (Teoria da Utilização Progressiva) introduzida por P. R. Sarkar em
1959. Esta teoria prega a máxima utilização e a distribuição racional de
todos os recursos físicos, psíquicos e espirituais para o benefício de
todos. É uma alternativa dinámica e ecológica ao capitalismo e comunismo,
que evita a estaticidade das filosofias materialístas.

O autor Leonardo Boff escreveu, "O sistema econômico PROUT é muito
importante para os grupos de base e para todos aqueles que almejam uma
libertação que comece pelo econômico e se abra para a totalidade da
existência humana pessoal e social."

DEMOCRACIA POLÍTICA: esta se compõe de três requisitos. O primeiro
é ética. A conduta ética deve ser pré-requisito para que se exerça cargo
público. Muitas pessoas entraram na política hoje para obter fama, poder ou
riqueza. PROUT acredita que os líderes do governo devem representar um alto
modelo moral, e mostrar um espírito de serviço e sacrifício. Imagine a
sociedade sendo governada pela a maioria desses líderes!

O povo em geral também deve ter um nível alto de ética, mas como é
possível quando a pobreza poem em perigo sua existência?

O segundo requisito é educação. É muito fácil para os políticos
manipular em o não instruido. Além disso, o terceiro requisito é uma
consciência sócio-econômica. Paulo Freire, um famoso educador mundial, foi
um pioneiro com relação a concientização do povo. Ele diz, "Os indústriais
alfabetizam seus funcionários, mas esse ensino está dentro da perspectiva
neoliberal. A alfabetização feita é puramente mecânica, foi descoberta pela
necessidade do processo produtivo. Um cozinheiro precisa de técnica para
desempenhar sua profissão. Mas também deve ser exigido dele a capacitação
política para que possa exercer a cidadania, para intervir na sociedade."
Então, uma consciência sócio-econômica da cidadania é um requisito para
democracia política.

DEMOCRACIA ECONÔMICA é essencial para estabalecer justiça social e
fortalecer a cidadania. O primeiro requisito da democracia econômica é
garantir as cinco necessidades básicas para todos: alimentação, vestuário,
habitação, educação e saúde. Estas devem ser a grande prioridade da
sociedade. Nós devemos avaliar se cada país está oferecendo estas cinco
necessidades básicas para cada um de seus habitantes. Este sistema de
avaliação é muito diferente do que os economistas tradicionais estão
usando. Há fome e desnutrição no Estados Unidos tambèm.
Alguns anos atrás, o presidente do Citibank visitou o Brasil para
avaliar as dívidas do governo. Ele deu a sua opinião: "Os brasileiros devem
trabalhar mais." Eu observo que a maioria dos brasileiros trabalham muito,
alguns com dois ou três empregos para conseguir suas necessidades básicas
de sobreviver!

2. Ao invés de doar estas necessidades ao povo, PROUT vai garantir
emprego para todos afim gerar o poder de compra. Todos que querem um
emprego e que gostariam de realizer um trabalho honesto, devem ter um
emprego honesto.

3. As pessoas locais participam nas decisões econômicas. Eles,
através da descentralização econômica, vão garantir que a produção da
região será para o consumo e para as necessidades mínimas da vida.

A super-acumulação de riqueza deve ser controlada. A grande
distância entre ricos e pobres, é no Brasil uma das maiores concentrações
de renda existente em todo o mundo. Um relatório das Nações Unidos asegura
que o país tem a pior distribuição de renda da América Latina. A renda
média hoje é 5.370 dólares, mas a renda per capita dos 20% mais pobres é de
apenas 564 dólares por ano, ou 10% da média.

A adequação do salário mínimo. Hoje o salário mínimo é R$112
mensal. Porém, de acordo com IBGE, 21 milhões, quase 25% dos trabalhadores
brasileiros, estão recebendo um salário mínimo ou menos! Vocês acham que
R$4 por dia é suficiente para adquirir as mínimas necessidades de vida para
uma família?

Definação de teto salarial e limite de riqueza: há duas razões para
o teto salarial. A primeira é para o crescimento da sociedade. O autor
escreveu, "Por uma dádiva da natureza, não há escassez de recursos físicos
em qualquer região econômica. Mas, devido á falta de tendências benévolas,
esses recursos não têm sido utilizados para o desenvolvimento social e
econômico."

Hoje o Brasil tem oito bilionários. Antônio Ermílio de Morais, dono
da Votorantin, cujo patrimônio é estimado em US$ 4 bilhões. Júlio Rafael de
Aragão Bozano do Grupo Bozano Simonsen com US$ 2,3 bilhões, e Roberto
Marinho, proprietário da Rede Globo, com US$ 2 bilhões. Outros cinco
acumulam US$ 1 bilhão ou mais. (Estes dados foram retirados da Folha de S.
Paulo, 5 de julho de 1995)

Quanto vale US$ 1 bilhão? A Organização das Nações Unidas estima os
custos economicos para os seguintes desafios sociais: eliminar a fome e a
desnutrição no Brasil, providenciar água pura para todos os brasileiros,
providenciar moradia, assistência médica, e eliminar analfabetização no
país com apenas 2 bilhões reais.

Você acha que um teto salarial de R$ 100.000 por pessoa a cada ano,
irá permitir incentivo suficiente para o desenvolvimento do talento
individual gerando o máximo de suas capacidades? Mas Antônio Ermílio de
Morais tem 40.000 vezes mais que isto!

A segunda razão da necessidade de um teto salarial é a de prevenir
as doenças mentais de avareza incontrolável. Devemos encorajar a vida
simples e auto-consciência elevada. Como P. R. Sarkar disse, há no ser
humano grande sede pelo infinito. Quando a eterna sede da alma humana não
consegue encontrar o real caminho para a riqueza mental e espiritual, isto
vem a gerar uma avareza material, uma doença que resulta na exploração de
outros.

Devemos melhorar constantemente o padrão mínimo de vida. A renda
mínima não é uma quantidade fixada, e a melhoria no padrão de vida básico
das pessoas indica a vitalidade da sociedade.

Nenhum indivíduo deve acumular qualquer riqueza material sem a
aprovação clara do corpo coletivo. Este termo, o corpo coletivo, significa
a liderança popular de cada região, incluindo líderes do governo, das
organizações não-governamentais, dos professores, etc. Se este grupo, por
exemplo, determinar um teto salarial de R$ 100.000 por ano, eles vão
considerar casos especiais, como uma pessoa com deficiência física, uma
paraplégico, que deva usar uma cadeira de rodas supersofisticada que custa
R$ 300.000.

O excedente de riqueza deve ser distribuído entre as pessoas
meritórias como incentivo. Por exemplo, numa era em que a bicicleta se
constituir em uma necessidade mínima para as pessoas comuns, um carro será
necessário a um médico, dando lhe maior chance de prestar serviços à
sociedade. Então o excedente de riqueza deve ser distribuído entre as
pessoas meritórias, de acordo com o mérito de cada uma.

Existem três níveis na economia de PROUT. O primeiro é as empresas
privadas. Micro empresas e mini empresas serão permitidas de produzir e
vender diferentes produtos não-essenciais. Com relação a isto, o povo
brasileiro é extremamente criativo. A economia popular existe hoje, em
todas as partes do país, com indivíduos, famílias, pequeno grupos que estão
produzindo uma grande variedade de produtos, com coisas que eles têm na
mão. Infelizmente o governo tem bastante burocracia, o que está impedindo
este crescimento. Deve-se abrir o mercado para os empressarios pequenos,
encorajando sua criatividade, invenções e iniciativas.

O sistema cooperativas é o melhor para a produção industrial e
agrícola, uma vez que protegem o povo da exploração. A maioria dos empregos
e da produção econômica devem ser das cooperativas. Cooperativas de
consumidores para evitar abuso de preços.

Finalmente, as indústrias estratégicas devem ser administradas pelo
governo local com o lema: "sem lucro, sem prejuízo". Exemplos de indústrias
estratégicas são transporte, comunicação, eletricidade, aço, petróleo, etc.
Elas vão criar a infra-estrutura necessária para o desenvolvimento, e as
matérias que muitas cooperativas, como satélites de uma rede, podem
processar.

As cooperativas de produtores e consumidores têm três requisitos
para obter sucesso: o primeiro é ética. A honestidade dos líderes é
fundamental.

O segundo é uma administração rigorosa. A contabilidade estrita,
aberto ao público, criará confiança nos membros e na comunidade. Essas
cooperativas devem modernizar ao máxima a técnologia científica de forma
apropriada.

O terceiro é aceitação sincera do sistema pelo público. O autor
disse, "Uma das principais razões que têm causado o fracasso das
cooperativas, em diversos países, é a imoralidade excessiva de exploradores
capitalistas, cujo objetivo é perpetuar o domínio. A prosperidade das
cooperativas só ocorrerá quando uma comunidade se situar em ambiente
econômico integrado."

Esta opinão é a mesma que a dos participantes do Fórum de
Desenvolvimento do Cooperativismo Popular do Estado do Rio de Janeiro, onde
eu participei algumas semanas atrás. Lá participaram representantes e
ativistas de diversas cooperativas como: de alimentos, artesenatos,
moradia, etc. Um deles, meu amigo Guilherme Kreuger, diretor do Instituto
Victus, disse, "PROUT representa um passo à frente na conscientização
popular, solucionando com o sistema de cooperativas o problema do
desemprego e renda."

Israel é um país pequeno. Originalmente era um deserto, sem
recursos naturais, como os outros países do Oriente Médio, mas os pioneiros
implantaram centenas de cooperativas que se chamam "kibutzem". Agora Israel
é um país de pessoas ricas. O Brasil é um país rico com recursos naturais e
terra fértil, mas tem bastante pessoas pobres.

O desenvolvimento das áreas rurais pode inverter o processo crônico
de urbanização e migração rural. O Brasil não pode achar ordem e progresso
até que as áreas rurais, o interior de cada estado, estejam desenvolvedos.
PROUT propóe uma estratégia nova para criar empregos nas áreas rurais.
As cooperativas agrícolas é a sistema mais eficiênte para produção
de alimento. Juntos, os camponeses podem trabalhar e utilizar seus recursos
ao máximo possível. A demanda para um pedaço de terra para cada família é
impratical. Cooperativas podem distribuir a mão-de-obra e diversificar suas
produção. Utilizando ao máximo as máquinas, construindo depósitos para
guardar os produtos e vender durante o todo ano com preços razoáveis,
abrindo creches e escolas para as crianças, elas podem melhorar a vida de
cada membro.

Agro-indústrias é uma outra maneira para elevar o padrão de vida.
Elas vão processar a produção agrícola local em etapas posteriores à safra.
Uma fábrica pode processar as frutas, por exemplo, e produzir sucos
industrializados, doces, etc. que vão criar empregos, manter os preços dos
produtos e conseguir mais lucro para a região.

Um outro típo de fábricas appropriadas para áreas rurais é as
agrico-indústrias, que produzim coisas necessárias anteriores à safra, como
implementos e máquinas agrícolas, fertilizantes, irrigação, etc. Com o
mercado pronto, os camponeses podem evitar os produtos importados e comprar
o que eles necessitam a preço accesível.

A descentralização da economia é necessária para a democracia
econômica. Hoje no Brasil e no mundo há grande disparidades entre
diferentes regiões. O mapa econômico verdadeiro vai mostrar fluxos dos
recursos naturais e matérias-primas da Amazônia, do Nordeste, e dos todos
os estados do Brasil na direção do São Paulo, o capital comercial do país,
assim como também, o fluxo das riquezas daqui que vão para os Estados
Unidos e Europa. Devemos parar a concentração da econômia com o
desenvolvimento de cada área.

Regiões sócio-econômicas auto-suficientes promovem o
desenvolvimento equilibrado de cada região. Elas funcionarão para a
garantia do bem-estar geral das pessoas em suas respectivas áreas. Os
interesses da população local serão reconhecidos e assegurados. Elas
facilitarão a liberação abrangente e multifacetada da humanidade.
Os fatores considerados na formação são: aspéctos geográficos
similares, problemas econômicos semelhantes, potencial uniforme,
semelhanças étnicas e legado sentimental.

Consumo deve ser a força motriz e não o lucro. A economia local
deve ser baseada na frase, "manter o dinheiro em circulação."
Descentralização depende do planejamento econômico para o
desenvolvimento.

Nenhuma matéria-prima deve ser exportada para outras regiões.
Fábricas devem processar as matérias-primas para o consumo local e o
excedente para exportação. Este princípio vai parar a exploração das
companhias multinacionais.

Agora queria começar a segunda parte da minha palestra, e explicar
sobre aspectos mais sútis: como a economia capitalista está causando

Infelizmente, tanto o planeta quanto a sociedade se encontram numa
situação crítica, de perigo iminente, por causa da perda deste prama. Este
desequilíbrio ocorre tanto na vida individual, nos planos físico, mental e
espiritual, quanto na vida social.

O autor identificou que, quando este equilíbrio dinâmico é perdido,
ocorrem três estágios: primeiro, desordem; depois, ruptura; e finalmente,
degradação. Ele escreveu: "A sociedade humana chegou ao estágio de
degradação e, como resultado, encontra-se perdida em decadência econômica,
agitação social, degeneração cultural e superstição religiosa."

Queria citar alguns exemplos do que acontece quando a sociedade
perde o seu equilíbrio: exploração psico-econômica; grande miséria e
desemprego; dívidas imensas e instabilidade econômica; corrupção do sistema
político e dos serviços públicos; destruição do meio ambiente; fanatismo
religioso; pornografia e abuso da mulher; desestruturação da família que
gera os meninos de rua; abuso de drogas e álcool; aumento da criminalidade
e violência policial.

Para que se possa restaurar novamente prama na sociedade, é preciso
que haja uma abordagem, passo-a-passo. No nível físico, é necessário
redirecionar o sistema agrícola através de cooperativas, com vista a prover
a quantidade suficiente de alimentos para a presente população, e suas
futuras gerações. Monoculturas, como a da cana-de-açúcar, do café e da
soja, que visam apenas a exportação, causam fome e desnutrição em várias
partes do Brasil. Enquanto um "exército de desfavorecidos" não possui
terras para plantar o mínimo necessário, áreas imensas são desmatadas para
criação de gado-de-corte, que gera pouquíssimos empregos.

Também as indústrias, que devem ser reorganizadas para prover as
necessidades básicas ao povo local, a preços acessíveis. A tecnologia deve
ser usada para garantir a preservação do meio-ambiente.

No nível mental, a capacidade intelectual do povo tem que ser
encorajada e desenvolvida. A trágica negligência da educação no Brasil tem
que acabar. Professores do ensino público são extremamente mal pagos, e o
nível de analfabetismo é vergonhoso.

Por isso, nós que tivemos e temos a chance de estudar em
universidades, temos a grande responsabilidade de proteger os
desfavorecidos, e ajudá-los a progredir.

Aqui no Brasil, se encontram excelentes exemplos, como Chico
Mendes, Paulo Freire, Frei Betto e Betinho. Todos eles, através de muito
trabalho e luta, conseguiram chamar a atenção de todos para os problemas
crônicos do Brasil.

No nível espiritual, nós devemos reconhecer o potencial infinito de
cada indivíduo, livre de preconceitos ou dogmas. Leonardo Boff tenta
revelar este potencial espiritual, um tesouro escondido debaixo de rituais
dogmáticos, em seu último livro, "Brasa sob Cinzas".

Finalmente, nós podemos restabelecer a harmonia ecológica através
do equilíbrio dos potenciais físicos, mentais e espirituais.
Neste sentido, PROUT é um sistema que promete um rápido crescimento
econômico, com proteção e restauração do meio ambiente.
Para compreender a necessidade de Democracia Econômica, nós temos
que entender a forma de exploração psicológica que o capitalismo
desenvolveu desde a época dos descobrimentos.

Quando os portugueses chegaram aqui, conseguiram conquistar os
nativos da mesma forma que fizeram os espanhóis, ingleses, franceses,
holandeses e também, depois, os americanos em suas respectivas colônias:
através da violência e de armamentos sofisticados.

Porém, os imperialistas usaram de muita esperteza: a destruição das
culturas locais e a imposição do complexo de inferioridade. Eles diziam aos
índios: "Sua cultura é primitiva, pois vocês não têm museus ou
universidades. Sua língua não é sofisticada, pois vocês não têm sistema de
escrita. Sua religião é falha, pois vocês não têm igrejas ou livros
sagrados. Vocês não possuem um sistema monetário! Vocês são realmente
inferiores!"

Eles impuseram o mesmo complexo aos africanos escravizados. É
claro, que os colonizadores não perceberam a riqueza cultural dos índios e
dos africanos, a sabedoria ecológica que tanto nós precisamos hoje, e
quanta sabedoria espiritual em seus tradições religiosos.

Infelizmente, estas idéias racistas ainda persistem em nossa
sociedade. Os empresários brasileiros e as corporações multi-nacionais
aprenderam já há algum tempo o poder da propaganda, incutindo em nossas
mentes que temos que ser como os atores de pele clara com suas roupas
alinhadas.

Sexismo é também um problema grave, pois a mídia e a propaganda
usam as mulheres como objetos sexuais, expondo-as como seres emocionalmente
dependentes e menos inteligentes que os homens. Eu acho que todas as
mulheres presentes neste auditório já tiveram que enfrentar este
estereótipo falso.

O autor denominou este tipo de manipulação de "exploração
psico-econômica". Por exemplo, a televisão tem um grande potencial para
disseminar educação e cultura. Mas o objetivo principal da indústria da TV
é gerar lucros através de entretenimento e propaganda. A maioria dos
filmes, das novelas, dos noticiários, etc. são sobre crime, sexo e
violência. Nossas crianças em geral assistem a milhares de assassinatos na
TV a cada ano. E as prisões estão lotadas de pessoas que desejam se tornar
ricos, famosos e poderosos como os astros violentos que eles vêem na
televisão.

Os capitalistas usam técnicas psicológicas na propaganda para
estimular nossos desejos, mesmo que os produtos não tragam benefícios a
ninguém, ou até mesmos nos prejudiquem. Um clássico exemplo disto é a
indústria do fumo.

É verdade que os pulmões do corpo humano possuem uma grande
capacidade de eliminar impurezas e fumaça. Mas depois de anos de fumo, esta
capacidade diminui, e os pulmões se enfraquessem. Dr. Everett Koop, o
ex-chefe do Ministério de Saúde dos Estados Unidos afirmou que o tabaco é
uma das substâncias mais destrutivas que existem e que causam mais
dependência do que a heroína.

Mas mesmo assim, esta indústria continua a faturar bilhões de
dólares, e ao invés de seus responsáveis se concientizarem do mal que
fazem, continuam a gastar em campanhas publicitárias que atraem novos
consumidores, como por exemplo os cowboys de Marlboro com seus cavalos, que
parecem o máximo a todos os jovens do mundo.

Os exemplos citados demonstram que alguns capitalistas, com a
intenção de acumular tremendos lucros, estão usando técnicas psicológicas
em sua propaganda e na mídia. Esta exploração psico-econômica causam
terríveis efeitos em nossas mentes, e nas mentes de nossas crianças. Como
nós podemos superar o racismo, o sexismo, e os complexos de inferioridade e
superioridade que existem em nós?

Devemos adotar uma nova perspectiva de humanismo espiritual, que P.
R. Sarkar chamou de Neo-Humanismo. É um processo pelo qual o indivíduo
expande o seu sentimento ou identificação, para todos os seres humanos. Nós
somos membros integrados de uma única família, a família da humanidade. O
Neo-Humanismo inclui também todos os seres, sejam animais, vegetais e
minerais. Esta é a verdadeira ecologia.

A perspectiva Neo-humanista dá a cada forma de cultura e expressão
linguística o devido respeito e a devida importância. Todo indivíduo deve
ser encorajado a se sentir honrado com seu povo e com sua identidade
cultural.

Os seres humanos estão sempre lutando para se libertar das amarras:
econômicas, políticas, sociais e ambientais. A razão desta busca é o desejo
inerente de alcançar uma felicidade interna, a plenitude. Nós devemos
encorajar esta busca pelas riquezas intelectuais e espirituais. Mas a
liberdade irrestrita para acúmular riqezas materiais torna isto impossível,
porque os recursos físicos do planeta são limitados.

Materialismo nunca poderá trazer plenitude e paz mental. A
propaganda mente quando nos dá a entender que encontraremos a verdadeira
felicidade, comprando aquele carro ou aquela roupa. A felicidade vem do
coração e não de coisas materiais. Se ainda existe alguma dúvida disto,
basta observar os países europeus e norte-americanos: ao mesmo tempo que
possuem todo o conforto que o materialismo pode trazer, também possuem as
maiores taxas de suicídio, abuso de drogas, álcoolismo e alienação.

A transformação individual espiritual é essêncial para a criação de
uma sociedade justa. Transformação espiritual requer uma "mente aberta" e
visão universal, e no que diz respeito a isto, vocês brasileiros possuem
uma vantagem. A sua tolerância e vontade para viver novas experiências fez
deste país o palco para um evento histórico: durante a Eco-92 no Rio de
Janeiro, a Vigília Inter-religiosa, que foi realmente incrível. Todas as
religiões e tradições espirituais foi dada igual respeito e importância.
Quando a cerimônia de encerramento com Dalai Lama e Dom Helder Câmara já
chegava ao fim, os líderes de diferentes tradições religiosas estavam se
abraçando e todos os milhares de participantes dançavam juntos e felizes.

Além da mente aberta e da visão universal, a prática da meditação é
a chave para a auto-transformação. Baseada na antiga ciência da yoga, a
meditação significa concentrar a mente em descobrir quem eu sou, a minha
essência. A prática diária da meditação acelera o processo de unificação do
indivíduo com seu propósito de vida. Meditação reduz o stress e cria força
de vontade para se alcançar um estado de equilíbrio, de saúde mental,e uma
personalidade integrada. Meditação espiritual proporciona sabedoria e amor
divino.

Os monjes e as monjas que estão aqui hoje são qualificados para
ensinar meditação a todos. Nós somos da Ananda Marga, que significa "O
Caminho da Bem-aventurança", uma organização sócio-espiritual fundada por
P. R. Sarkar, na Índia. A organização foi registrada no Brasil em 1974 como
"Associação de Ciência Intuitiva Ananda Marga".

Nós propomos uma filosofia de vida baseada nas práticas
espirituais, ou seja, o processo científico da yoga e da meditação. Nós
também temos projetos de serviço social, como por exemplo, os doze jardins
de infância em áreas carentes do país, para dar às crianças uma experiência
positiva de educação.

Qual é o futuro do Brasil? A crise econômica é tanto um perigo
quanto uma grande oportunidade para transformarmos a sociedade. A
verdadeira democracia, tanto econômica quanto política, necessita do
fortalecimento e valorização da cidadania. A campanha do Betinho, "Ação da
Cidadania Contra a Fome, a Miséria e Pela Vida", tem trazido resultados
concretos no combate à fome no Brasil. E há apenas três anos os estudantes
e o povo brasileiro demonstraram nas ruas a sua força, e exigiram dos
líderes políticos o fim da corrupção do governo Collor. Vocês provaram para
si mesmos e para o mundo o poder da união do povo brasileiro, de lutar por
uma causa nobre.

Como os dinossauros, ambos os sistemas materialistas, o comunismo e
o capitalismo, serão extintos. Pois eles têm estaticidade devido à
concentração do capital e à circulação do dinheiro.

Eu acredito que Democracia Econômica, baseada na Teoria da
Utilização Progressiva, é uma poderosa ferramenta que devemos usar
coletivamente para pôr fim à vergonhosa super-acumulação de riquezas, a
pobreza e ao desperdício de vidas humanas.

Apesar de PROUT ser uma novidade, é bom lembrarmos que todos os
sistemas mundiais nasceram na mente de uma única pessoa.

Será que nós podemos mudar o mundo? Claro que sim!

A antropóloga famosa Margaret Mead disse: "Nunca pense que um grupo
pequeno de indivíduos altamente dedicados não pode mudar o mundo. Na
verdade, estes são os únicos que sempre mudaram."

 


***© 1997 People's News Agency. All rights reserved. Material provided by PNA may be reprinted if the author is mentioned and if the following information is included: "Reprinted with permission of People's News Agency, Platanvej 30, 1810 Frederiksberg C, Denmark, gtimes@post8.tele.dk". Please send clippings to this address. PNA is a news, views, analysis and literature service for the progressive-minded. The agency is sponsored by Proutist Universal from its global headquarters in Denmark, and serves progressive publications around the world.***